Segunda, 22 de Maio de 2017 |
PS Olhão reprova recandidatura de António Pina e é criada uma TROIKA de Faro para definir os Candidatos

17:52 - 06/05/2017 POLÍTICA
Imprimir
Decorreu no dia 03 de Maio de 2017, na sede do PS Olhão, a reunião dos responsáveis, a Comissão Politica Concelhia, por escolher os candidatos aos diversos órgãos autárquicos e cujas eleições decorrerão em Outubro de 2017.

Foram apresentadas à votação as seguintes candidaturas:

· A recandidatura de António Pina foi reprovada por larga maioria dos presentes devido à prepotência e arrogância deste, na relação com e estrutura local ao longo destes 4 anos. Mesmo após reprovação, remeteu-se superiormente o nome de António Pina, como candidato à Câmara, devido à imposição da estrutura nacional. Mantendo a postura infantil, abandonou a reunião recusando debater e argumentar sobre as restantes candidaturas.

· Como candidato à Assembleia Municipal, foi aprovada a candidatura de Carlos Manso, anterior Presidente do PS Olhão e Vice Coordenador da Delegação Regional do Algarve da Ordem dos Economistas.

· Para as Juntas de Freguesia, foram aprovadas as seguintes recandidaturas em conformidade com a orientação nacional, Luciano Jesus, para a Junta de Freguesia de Olhão, Miguel Dimas para a Junta de Freguesia de Quelfes e Paulo Salero para a Junta de Freguesia de Pechão.

· Para a Junta de Moncarapacho/Fuseta foi decidido aprovar a candidatura de Gustavo Marcos, fundador dos ´´Jogos de Quelfes’ e Vice-Presidente da Academia Olímpica de Portugal.

· Apesar do processo ter decorrido dentro da legalidade e em conformidade com as orientações nacionais, a Federação Regional do Algarve do PS, presidida por António Eusébio (candidato a Faro pelo PS) resolveu avocar o processo e chamar a si a resolução do mesmo, criando uma TROIKA Farense que tem como única missão decidir pelos candidatos que a estrutura Olhanense recusou e impô-los aos Olhanenses.

·  Após 43 anos do 25 de Abril, as estruturas locais ainda não podem decidir o seu destino, de acordo com as vontades das populações.

Segundo quem esteve presente, não haverão demissões prometendo continuar a defender o Partido em Olhão, contra as ingerências externas, podendo esta prepotência regional e nacional favorecer o aparecimento de candidaturas independentes e o fortalecimento das restantes forças politicas.

 

Por: Olhão Verdade

 

 
Newsletter
Preencha o campo para subscrever a newsletter
notícias mais lidas


 
 
CATEGORIAS
A VOZ DO ALGARVE
APOIO AO CLIENTE
Visite-nos